O site

352/365 Floating Shift
Creative Commons License photo credit: Mykl Roventine

Ninguém tem a data precisa, mas a espécie dos blogs teria sido extinta em algum momento em 2009 vitimados pela voracidade dos enxames de insetos azuis. Uma lápide simbólica foi erguida como memorial e dizia somente: “Aqui um dia se produziu conteúdo #RIP #euchorei”. Só tínhamos 140 caracteres para expressar nossa dor.

Alguns reminiscentes da espécie outrora dominante jazem desmembrados de seus comentários, em micropartes replicadas à centenas de milhares mundo afora, como ecos de uma passado tão próximo. Outros garantem que alguns sobreviventes seguem disfarçados como miniportais, mas ainda organizados em ordem cronológica, com comentários e barra lateral, que ostentam como código de sua sociedade (ou comunidade) secreta.

O fato é que, ao escolher uma plataforma para ser pessoal e intransferível, uma vez que tenho carrego a sina de transformar em projeto tudo o que começo como expressão pessoal, optei por criar essa discreta coletânea de Hubs que filtram o que ando pesquisando e conhecendo por aí.

Fique por dentro de meus contatos pessoais, de onde vim, para onde vou e, fundamentalmente, onde estou no exato momento em que você acessar este endereço.