in Episódios

FalaFreela#26. Profissões tradicionais no mundo freelancer. Capítulo 1: Advogados

bannerfalafreela_ff26

[audio:http://www.falafreela.com.br/ep/26/FalaFreela_Ep26_Advogados.mp3]

Download | ZIP | Assine no iTunes

Cruzando pela primeira vez a fronteira segura do mundo da web, design e marketing, o Fala Freela traz em seu 26º episódio um pouco dos desafios e conquistas dos advogados freelas. Sim, eles existem! E para nos contar essa história, chamamos nosso ouvinte Henrique Arake que lá em Brasília, além de editar o blog Direito&Mercado atende a sua clientela que segue fiel e confiante em seus préstimos jurídicos.

Junte-se a Mauro Amaral e Carolina Vigna-Maru para mais um episódio da meia hora mais valiosa do seu dia. Aliás, desta vez temos versão estendida, pois aproveitamos a presença do rapaz para sapecar algumas perguntas de interesse comum a comunidade freelancer. Aproveitem!

Links e referências

Um lembrete: a discussão está apenas começando. Após ouvir o episódio, deixe abaixo seus comentários e/ou dúvidas e a gente vai respondendo, ok?

Quero ouvir sua opinião!

Comment

23 Comments

  1. Uma pequena retificação com gosto de “mea culpa”… nos minutos finais, disse que o juiz pode decidir contra as provas… o que quis dizer é que ele pode decidir contra o parecer do perito! 😀

    Isso que dá convidar advogado para falar em público… a “meia hora mais valiosa do seu dia” mais de uma hora e dez minutos!

    Ô Mauro e Carol, da próxima vez me dá um tapa pra eu falar de falar! 😀 Gostei demais de participar! Espero que os ouvintes tenham gostado também!

  2. Pessoal achei bem legal e esclarecedor esse podcast sobre advogados.
    Seria legal fazer um podcast envolvendo contrato de prestação de serviços freelance.
    Qual o melhor caminho e o que é arriscado fazer sei que já fizeram posts sobre isso mas eu acho que um advogado poderia acrescentar alguns pontos de vista diferentes.
    Vlw abraço muito bom o podcast

  3. Que legal o que o Michel disse! Mauro é f@#$ na edição mesmo.

    Ô, Daniel! Contrato de prestação de serviços é tão genérico, mas tão genérico que, pra simplificar, tipificaram ele no Código Civil. Dá uma olhada por lá que provavelmente muitas dúvidas você tirará!
    Tudo bem que arranjará outras, mas é para isso que estou aqui! E minha hora-consulta nem é tão cara assim! 😉

  4. Mas não acredito que vocês foram consultar um advogado de ARAKE desses… hehehe.
    Brincadeira. Sou amigo do Henrique e leitor do Direito&Mercado, daí que ele me convidou a ouvir o podcast de vocês (muito bem produzido, diga-se de passagem).
    Parabéns a todos e se me permitem, usem mais vezes o Henrique, de repente em um quadro a la “advogado freela” onde ele tire dúvidas selecionadas por vocês para tentar ajudar a “categoria”.
    Abraços.

  5. Muito bom! O engraçado é que o papo era pra ser sobre a vida freela de um advogado, mas acabou servindo muito com conceitos e dicas sobre direito em geral para todos nós freelas.

    Já marquei o blog do Henrique para ler sempre.

  6. Olá pessoal tudo bom?

    Estou terminando de baixar esta edição muito ansioso para ouvir. Pois sempre ganhamos muito quando aprendemos sobre nossos direitos e vindo do CARREIRA SOLO, só pode ser mais uma grande mega superprodução.

    Depois de ouvir volto a comentar. Desde já muito obrigado galera!

  7. Conforme o Henrique deixou claro acho legal todos os ilustradores prestarem bastante atenção nos contratos que estão assinando.
    Embora a autoria não se perca, o criador poderá não monetarizar futuramente o fruto de seu trabalho dependendo do que assinou.
    É fácil encontrar no mercado contratos que aquele que contrata passa a ter direitos monetários sobre a criação (ilustração, foto, video e etc) e não mais o seu autor.

  8. Não consegui completar,mas é o seguinte:
    Eu, arquiteta e urbanista,sou free lancer desde novembro.
    Por ser disléxica e gostar de muitas coisas acho que escolhi a profissão certa. Vivo entre a razão e a criatvidade diariamente.
    Mas o que mais eu gosto é: prestar serviços para empresas públicas,privadas e clintes distintos…ricos,acessibilidade para deficientes,pobres,fazer multirão de obra,pagar pedreiro!
    Não quero outra vida!

  9. Nossa ainda não tive a oportunidade de ouvir, mas já estou baixando para ouvir. xD

    De antecedência deixar os parabéns ao pessoal por mais uma edição.
    Acredito que mais uma vez vale apena ouvir…
    Até Mais!

  10. Fala galera!!

    Vocês poderiam fazer um epis. sobre registro de marcar, patente sabe, vcs ja comentaram durante alguns epis. mais ficaria melhor se fosse melhor explorado este tema, o que vcs acham?

    Acompanho a Fala FRELLA desde o epis.0.
    Achei vcs por acaso pois na época eu estava montando meu site, e add no sistema de busca do google, foi aonde topei com vcs estou aprendendo muito as meias horas KKK valeu!

  11. Muito bom esse podcast com o Henrique!! Já marquei o blog dele aqui nos meus favoritos, agora sempre vou dar uma passadinha por lá! Sou webdesigner, mas o direito sempre me chamou muita atenção… e é sempre bom a gente saber um pouco de tudo, né?

  12. Muito bom, estou quase levando este episódio para meu pai (que é advogado)ouvir:)
    Uma sugestão para os próximos podcasts, mergulgar mais afundo nas mídias sociais, mostrando como atua um profissional da área, o Analista de MS, seu papel frente ao desafio que é “socializar” marcas hoje em dia.
    Se precisar de referências, conte comigo.

    Um abraço, parabéns mais uma vez :-)

  13. Ola,
    eu ouvi podcast mas ainda fiquei com uma duvida!

    Eu estou desenvolvendo uma interface de um site, e gostaria de proteger para ninguem copiar esta interface.

    Como eu registro isto para nao perder os direitos autorais?
    Se alguem alterar uma parte da interface eu perco meu direito?

    Resumindo: Montei um projeto de site, aonde as interfaces estao todas feitas, sem a programacao.

    Como protejo para tentar ter um parceiro ou socio.

    Sugiro o tema “Acordo de confidencialidade”

    Abcs e parabens pelo blog!!

  14. Ola,
    eu ouvi podcast mas ainda fiquei com uma duvida!

    Eu estou desenvolvendo uma interface de um site, e gostaria de proteger para ninguem copiar esta interface.

    Como eu registro isto para nao perder os direitos autorais?
    Se alguem alterar uma parte da interface eu perco meu direito?

    Resumindo: Montei um projeto de site, aonde as interfaces estao todas feitas, sem a programacao.

    Como protejo para tentar ter um parceiro ou socio.

    Sugiro o tema “Acordo de confidencialidade”

    Abcs e parabens pelo blog!!

  15. A proteção de software é regida pelo direito autoral e não pelo industrial, mas o registro é feito no INPI.

    Com relação a NDAs ou acordos de confidencialidade, já escrevemos tanto no carreirasolo.org, como no meu blog uns 3 artigos sobre isso.

    Desculpe ser sucinto, estou escrevendo do celular.

    Abraços!